A suficiência do MNML: minimalismo ou realismo?

 

Tá pensando que só de moda fashion e arquitetura vivem o minimalismo?! Hoje vim falar aqui desse movimento que vem ganhando cada vez mais espaço nas nossas vidas força nos últimos anos. Quer você queira ou não, entramos na tendência de cada vez mais vivermos com menos. Pensa só: menos salário = menor poder de compra, menos recursos naturais = menor coisinhas verdes e vivas ao nosso redor e na nossa mesa, menos tempo = menor convivência social com os amiguíneos… less less and less… o time tá perdendo, bora mexer?!

 

Assisti ao documentário ‘Minimalism: A Documentary About the Important Things‘ (Minimalismo: Um Documentário Sobre As Coisas Importantes) e fiquei uma catiora reflexiva. Joshua Fields Millburn e Ryan Nicodemus, conhecidos como The Minimalists, são o ponto focal do documentário (disponível no Netflix ;)) entre outros personagens, que contam como suas novas – e melhores – escolhas transformaram o padrão e a qualidade de suas vidas.

 

Veja o trailler do documentário:

 

 

 

O minimalismo é, antes de tudo, escolhas, e por isso ele se define por si só: é um processo. Não é um estado. Nem um resultado. É um conceito que vira cultura (de contra-cultura), que te move além dos modelos existentes. Uma tendência de menor consumo de coisas das quais não necessariamente precisamos. É o nosso conhecido desapego, apegando-se àquilo que realmente faça sentido e, antes de tudo, seja importante e suficiente (!!!) para você e seu estilo de vida.

 

O fato que Ryan e Nicodemus questionam é nosso comportamento automático e habitual: por que temos que ser iguais? Por que seguimos os modelos existentes, que foram criados (e impostos silenciosamente há 100 anos) pela sociedade-marketing-propaganda? Por que não nos é somente ensinado a pensar mas também incitados a refletir sobre a existência desses ou outros “padrões”?

 

Joshua e Ryan

 

Que a publicidade nos rodeia e nos sufoca disso a gente não tem dúvida, mas a pergunta é: qual o valor real daquelas imagens? o que de fato estão querendo nos vender? consigo mesmo atingir a felicidade através do consumo desse ou daquele produto? Perguntas ainda se espalham sobre o futuro dos nossos mini-seres humanos (leia-se crianças) sendo bombardeados por milhares de anúncios que resultam em desejos impetrados de muitas cifras para as empresas.

 

Os participantes (autores de livros, neurocientistas – conscientes e minimalismas de corpo e alma!) questionam como segue a evolução da espécie humana no gene da insatisfação. É da nossa genética estarmos insatisfeitos, buscarmos mais (maiores salários e casas) e o melhor (carro e celular). A inquietudade nasce quando vemos para onde canalizamos e onde/como vamos parar, com o comportamento “involuntário” – como essa genética evolutiva é um fator decisivo dentro dessa veia desenfreada de consumo. Com isso vem as fast fashions, a sustentabilidade e nossas responsabilidades como a única espécie racional que tem poder para destruir mas também salvar nosso planetinha.

 

E vem também “nois” assessora de imagem pessoal que descobre-ensina-ajuda a multiplicar os looks nossos de cada dia, evitando aquele mundaréu de roupa com etiqueta que nunca viu a luz do dia :/ E o clima minimal também é o norte na hora de conseguir uma mala de viagem inteligente, tema do nosso primeiro workshop! Clica aqui pra saber mais 😀 

 

Ser minimalista é se entregar-se a si mesmo, e Joshua enfatiza ao dizer que não precisa se envergonhar, nem ter de explicar aos outros seus porquês. O mais importante é espalhar a verdade deles e ajudar/incentivar tantos outros a pensarem sobre os padrões que vivemos na atual sociedade – sem julgamento alheio! <3 Por isso, eles deixam claro ainda que não são contra o consumo. São contra o consumo excessivo – e tenho dito! #keepitsimple

 

Aqui tem um site brasileiro bem legal pra quem se interessar mais no assunto. Fora as tiny houses que estão bombando e retratam bem esse movimento de uma vida simplificada mas cheia de significado.

 

Julyanna Kumamoto

Julyanna Kumamoto

Proprietária

Assessora de imagem. Aqui compartilho conceitos e minhas visões
para te ajudar a ter um estilo de vida melhor. Cosmopolita e pensadora full time.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *